domingo, 20 de setembro de 2009

Mea Culpa

Jantar risonho com tilintar de copos e conversas inócuas, mas no segredo arriscado de uma mesa coberta , provocação num roçar premente, vingança sua, prometida e cumprida.
Noite passada buscando momentos, segundos e fracções de olhares dispersos.
Divisórias de uma casa percorridas onde seus dedos e corpo me roçavam. Imperceptivelmente...
Caricias suaves e desculpadas por sorrisos corados.
Até que perdida sentiu, quais garras seus dedos ... desejo meu. Movimentos fugazes de vai e vém com que lhe preenchi a mão. De mim...
Pronto ... demasiadamente pronto. Prisioneiro sem grades. Mas acorrentado em tecido.
E no suspiro expirado...imagens quentes imaginadas. De dois corpos fundidos. O seu e o meu.
Há demasiado tempo prometido. E nunca cumprido.
E palavras soltas murmuradas..."cabrão, 'tou toda molhada" ... golpe de misericordia desferido.
E sorrindo o recebi. Estóicamente no corpo mas vindo-me na alma.
Mea Culpa ... assumidamente.

(a razão tem razões que o desejo não merece. Mas deve-lhe obediência.)
(M)

13 comentários:

  1. jantar servido a refeição principal quente...
    aquece o corpo e escalda a alma!
    bjs libertos em ti

    ResponderEliminar
  2. a alma escaldar é pouco...ganhar juizo mas é loool beijo ;)

    ResponderEliminar
  3. Há momentos mesmo ... desesperantes :)

    ResponderEliminar
  4. Pandora se mudasse deixaria de ser ...eu.
    ;) beijo

    ResponderEliminar
  5. Secreta excelente constatação loool beijo

    ResponderEliminar
  6. Momentos,
    juizo?loooool nããã... nã me chêra...
    mais um clone! :)
    bjs libertos em ti

    ResponderEliminar
  7. Momentos,
    calzone? sim p.f.f. e bem acompanhado sim? vinho meu caro... vinho... lol
    bjs libertos em ti!

    ResponderEliminar
  8. Libertya...calzonne a minha preferida. O vinho escolho eu então ;) bjo

    ResponderEliminar